Prémios do Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz – Film Art 2019

Prémios do Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz – Film Art 2019

Decorreu ontem, dia 14, às 22h, no Casino Figueira, a cerimónia de entrega de prémios do Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz – Film Art 2019. A cerimónia contou com apresentação de Sansão Coelho e actuações de Beatriz Alves, Zeca Nogueira, Grupo de Cantares da Casa do Pessoal do Hospital da Figueira da Foz, Canticus Camerae, e o Côro das Pequenas Vozes da Figueira da Foz. As distinções foram as seguintes:

Videoclips finalistas:
I have no home, Volodymyr Vlasenko (Ucrânia)
House on a Rocky Road, Tamara Kotevska (Holanda)
Wirehead, Duarte Gandum (Portugal)
Nem só das cinzas se renasce, Pedro Caldeira, Paulo Graça (Portugal)
River Thames, Carol van Hemelrijck (Reino Unido)
Monk, Sashko Danylenko (Ucrânia)
2.57, Viviana Santanello (Itália)

Prémio de melhores efeitos especiais num videoclip: I have no home, Volodymyr Vlasenko (Ucrânia)
Prémio de melhor realização num videoclip: Duarte Gandum, Wirehead (Portugal)
Prémio de melhor filme na categoria Videoclip: Wirehead, Duarte Gandum (Portugal)

Filmes de Escolas finalistas:
Coplillas por Bombay, Jaume Miranda (Espanha)
Cruce, Erik Trujillo (México)
Euigon, Jeremiah Estela Magoncia (República da Coreia)
My Pleasure. Tadeusz Kabicz (Polónia)
One step to perfection, Boris Biaou (França)
Pure air, Casper Buijtendijk (Holanda)
Fisso, Raito Low Jing Yi (Taiwan)

Menções honrosas na categoria Escolas: Euigon, Jeremiah Estela Magoncia (República da Coreia), e Pure air, Casper Buijtendijk (Holanda)
Prémio de melhor realização num filme de Escolas: Jaume Miranda, Coplillas por Bombay (Espanha), e Erik Trujillo, Cruce (México)
Prémio de melhor filme na categoria Escolas: My Pleasure, Tadeusz Kabicz (Polónia)

Documentários finalistas:
Aharon’s Childhood, Arnaud Sauli (França)
Vagando Maputo, Aurore Vinot (França)
Social Business, Amirul Arham (França)
Viva el palindromo, Tomás Lipgot (Argentina)
The Well, Yury Nemtsov e Anton Belousov (Federação da Rússia)
Più de la vita, Raffaella Rivi (Itália)
The Song of Grassroots, Yuda Kurniawan (Indonésia)

Menções honrosas na categoria Documentário: Social Business, Amirul Arham (França), e The Song of Grassroots, Yuda Kurniawan (Indonésia)
Prémio de melhor montagem num documentário: Francesco Mansutti, Più de la vita (Itália)
Prémio de melhor fotografia num documentário: Anton Belousov, The Well (Federação da Rússia)
Prémio de melhor realização num documentário: Aurore Vinot, Vagando Maputo (França)
Prémio de melhor filme na categoria Documentário: Più de la vita, Raffaella Rivi (Itália)

Curtas de ficção finalistas:
Isolated, Mohammad Ahmadi Nia (República Islâmica do Irão)
For love with love, Manav Kaushik (Índia)
The edge, Rodrigo Tavares (Portugal)
Dejavu, Atefeh Kademolreza (Canadá)
The wound, Darlush Safeekia (República Islâmica do Irão)
In the name of God, David Jaure Rosenbaum (Estados Unidos da América)
Still life, Bruno Fraga Braz (Portugal)

Menções honrosas na categoria Curta de Ficção: Isolated, Mohammad Ahmadi Nia (República Islâmica do Irão); In the name of God, David Jaure Rosenbaum (Estados Unidos da América); e For love with love, Manav Kaushik (Índia)
Prémio de melhor argumento numa curta de ficção: Ander Duque, She (Espanha)
Prémio de melhor realização numa curta de ficção: Afetefeh Khademolreza, Dejavu (Canadá)
Prémio de melhor filme na categoria Curta de Ficção: Dejavu, Atefeh Khademolreza (Canadá), e Still life, Bruno Fraga Braz (Portugal)

Longas de ficção finalistas:
Amalia, Ana Sofia Osorio (Colômbia)
Unless the water is safer than the land, Lar Arondaing (Filipinas)
Dirty Job, Helio Martins Jr. (Brasil)
Termites, Masoud Hatami (República Islâmica do Irão)
Lada Kamenski, Sara Hribar e Marko Santic (Croácia)
Holy Boom, Maria Lafi (Grécia)
Beyond Memory, Miguel Babo (Portugal)

Menção honrosa na categoria Longa de Ficção: Lada Kamenski, Sara Hribar e Marko Santic (Croácia)
Prémio de melhor montagem numa longa de ficção: Yorgos Paterakis e Kenan Akkawi, Holy Boom (Grécia)
Prémio de melhor fotografia numa longa de ficção: Mark Cosico, Unless the water is safer than the land (Filipinas)
Prémio de melhor argumento numa longa de ficção: Elena Dimitrakopoulou e Maria Lafi, Holy Boom (Grécia)
Prémio de melhor realização numa longa de ficção: Masoud Hatami, Termites (República Islâmica do Irão)
Prémio de melhor filme na categoria Longa de Ficção: Termites, Masoud Hatami (República Islâmica do Irão)

O júri, constituído por cinco membros de méritos reconhecidos e ligados à Sétima Arte, não pôde estar envolvido, direta ou indiretamente, na produção/distribuição de qualquer filme a concurso, o mesmo não acontecendo em filmes cuja participação seja feita por convite pela comissão organizadora.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *